Citação

Um escritor é todos os escritores, Uma cidade é todas as cidades

Escrevo num café – ou pelo menos
isso tento -,
em fente de uma janela que dá
para uma rua em penumbra.
Lá fora chove.
Eu penso no café
de Lisboa em que escrevia
Fernando Pessoa,
nos cafés
de Paris onde Neruda
onde Verlaine, Éluard, Rubén Darío…

Lá fora chove e molha a cidade que habito. Uma precisa
marca traçada sobre o mapa
da minha vida. Mas o cristal
é de esmeril
não custa imaginar
a mesma chuva nos passeios
de Lisboa, Paris, Viena, Madrid…
De baixo da chuva, atrás da janela
com uma cortina de fumo e em estado
de versos e fadiga, todas
as cidades albergam nas suas ruas
uma história comum
e um rosto parecido.

Andrés Catalán, Composiciones de lugar (Universidad Popular de San Sabastián de los Reyes,2010)
Tradução: J.G
Revisão: H.M.M

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s