Isto é crescer – María Mercromina

12

Aprendi a apanhar o punhal,
a buscar as mentiras sempre
na beira da ferida.
Ponho a outra face, antes do golpe prévio.
Liberto-me do inútil corpo que me contém.
Afundo a palavra na última costela,
vendo a minha boca com carmim.
Sou uma amálgama de pássaros
que não souberam voltar a casa.

María Mercromina (Inédito, 2014)
Trad.: J.G / Rev.: H.M.M e Vítor Dias
Foto: Vítor Dias

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s